domingo, 21 de abril de 2013

ADEUS PSD… OLÁ CASCAIS!



Ao fim de 30 anos de militância partidária activa, tendo desempenhado lugares de responsabilidade partidária e autárquica, vejo-me na necessidade de apresentar a minha demissão do PSD.
Não é segredo para ninguém, nas muitas linhas que tenho partilhado neste blogue, que me move uma enorme paixão por Cascais e que tenho uma opinião muito crítica à gestão autárquica imprimida por Carlos Carreiras em Cascais.
Poderia tomar uma atitude do tipo “quem boa cama fizer, nela se há-de deitar…” como diz o velho ditado, e esperar que a bronca se dê, que Carlos Carreiras ganhe as eleições e literalmente dê cabo de Cascais, com as suas fantasias, no decurso dos próximos 4 anos de mandato, para depois afirmar do alto da “minha cátedra” o quanto  eu tinha razão!
Mas para mim Cascais é demasiado importante para que eu fique bem com a minha consciência ao tomar uma atitude de desinteresse.
Para mim Cascais é mais importante que o PSD.
Nunca vi o Partido como um fim, antes um meio que pode permitir aos que gostam de política poderem trabalhar em prol da sua comunidade, seja ela local, regional ou nacional.
Desde sempre afirmei que não faz sentido alguém demitir-se de um Partido porque esteja temporariamente em desacordo com este ou aquele dirigente. A mudança de um Partido, pensava eu, faz-se estando lá dentro.
Enganei-me.
O PSD de Cascais, na forma que lhe foi dada por Carlos Carreiras, está blindado e é impossível de mudar enquanto o PSD for poder na autarquia.
Ficar neste PSD em Cascais é comprar o bilhete para me sentir envergonhado pelo trabalho que o “meu” Partido tem estado a fazer na autarquia de Cascais nestes dois últimos anos e se prepara para continuar a fazer por mais quatro anos, agora ao abrigo da legitimidade das eleições que se avizinham.
Por isto, embora me continue a sentir tão social democrata como no dia em que me filiei no PSD, vejo-me na necessidade de o abandonar.
Se quero lutar pela terra em que nasci, tenho que lutar fora do PSD, e ajudar a criar alternativas para que Carlos Carreiras não possa ser Presidente de Câmara.
O que se passa com o projecto Savelos em Carcavelos, o que se passa com o antigo Hotel Nau em Cascais, o que se passa com o Hotel Inglaterra ou com o Hotel Paris no Estoril são exemplos do que é a nova filosofia urbanística deste Presidente de Câmara, o que se passa com a Tratolixo e a gestão ambiental é uma boa demonstração da nova filosofia ambiental deste Presidente de Câmara, o que se passa com tanta festa e tanto espectáculo é uma boa demonstração do desrespeito que este Presidente de Câmara tem pelos impostos dos seus munícipes!
Cascais, a autarquia de Cascais, não aguenta mais 4 anos deste tipo de irresponsabilidade financeira imprimida pelos devaneios de Carlos Carreiras e pela incompetência de Nuno Piteira.
Há um véu de promessas, do Paraíso anunciado em Cascais, que os munícipes vão perceber que não passam de mentiras.
Os Paquetes, as universidades, não passam de uma aldrabice pegada. Só que depois das eleições será tarde para perceber o logro…
Por não querer continuar neste pé fora outro dentro, saio do PSD para poder continuar a lutar por Cascais com toda a liberdade que não prescindo de exercer.
Adeus PSD…
Olá Cascais!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.