segunda-feira, 30 de maio de 2016

AINDA O ESTACIONAMENTO…

Cascais vai tomar uma péssima decisão sobre esta matéria na próxima Assembleia Municipal ao validar esta coisa estúpida que se está a fazer no município, na gestão do estacionamento.
A extensão do estacionamento pago a zonas que ultrapassam já os centros urbanos das localidades e invadem as zonas meramente residenciais, com o argumento de que esta medida permite aumentar a rotação do estacionamento, é de uma pobreza intelectual confrangedora!
Ouvi na Assembleia de Freguesia de Carcavelos/Parede um outro argumento que me deixou estarrecido:
Porquê tanta crítica sobre a expansão dos parquímetros quando todas as câmaras fazem o mesmo e quem começou isto até foi a Câmara de Lisboa, liderada pelo PS…
Percebe-se bem que bancada da Assembleia articulou argumento tão pífio…
Apetece-me dizer que ainda bem que a Câmara de Cascais só recolhe exemplos a seguir nas suas congéneres nacionais. Imaginem o que seria passar a ser bem, e digno dum verdadeiro cascalense, andar com granadas e bombas à cintura como fazem os da Al Qaeda…
Não tão explosivo como o exemplo também parvo que arranjei mas socialmente explosivo, esta pretensão da maioria que governa Cascais vai contribuir para um cavar de trincheiras entre a maioria dos munícipes que não compreende mais “este benefício municipal” e o escol de apoiantes do governo municipal.
Cabe aqui uma destrinça que importa fazer.
A coligação Viva Cascais tem seis eleitos na Câmara mas aparentemente cumpre-se a vontade de três deles e por esta ordem de importância, Carreiras, Piteira e Pinto Luz. Aos restantes resta votar e…pronto. Nestas contas o peso dos representantes do CDS é, aproximado à terceira casa décimal, 0,000!
E na oposição, sem surpresas PS e CDU têm-se batido com denodo contra esta anedota de regulamento de estacionamento mas a surpresa aconteceu com a representante do SerCascais que resolveu abster-se. Acredito que o futuro próximo permitirá compreender tal atitude, já que à luz dos factos, não descortino a razão objectiva que se consiga ligar aos compromissos eleitorais assumidos com os eleitores que votaram neste movimento cívico…
Mas, para que não me acusem de ser uma ave agoirenta que só critica mas não acrescenta solução, quero partilhar o meu pensamento sobre este tema.
Cascais, e a maioria das outras Câmaras da cintura urbana de Lisboa sofrem de um problema, gerado pela (má) gestão urbanística dos anos oitenta e noventa que é a falta de estacionamento.
O estacionamento projectado e existente nos centros urbanos não é suficiente para as necessidades e daí passou-se primeiro para o estacionamento selvagem (passeios, segunda fila) e depois entrou-se na fase da necessidade da disciplinação com a colocação de estacionamento pago (o tal aumento da rotatividade…) e a criação de medidas punitivas, com a criação dos polícias municipais e as suas famosas coimas.
Ficou um bocadinho mais ordenado mas o problema foi contornado, não resolvido.
Porque o cerne do problema, a falta de estacionamento, está bem patente.
Esta penúria de oferta de estacionamento, e o que existe é caro, leva a criar sérios problemas ao comércio tradicional e à manutenção da vida económica nos centros das vilas.
Cascais não está muito pior porque continua a ter alguma procura por turistas internos e externos, mas a não resolução de forma eficaz do estacionamento dos autocarros de turismo poderá levar ao abandono de Cascais nas rotas turísticas de Lisboa…
Mas se espreitarem Carcavelos, Parede, S. João do Estoril, S. Pedro do Estoril, Monte Estoril, Manique, Bicesse, Alcabideche, S. Domingos de Rana, Tires, Abóboda, vão perceber o que a falta do estacionamento está a fazer ao comércio destas localidades!
Quer fazer compras? Quer ir almoçar ou jantar? Se calhar o melhor é ir ao Cascais Shoping! Lá há estacionamento de certeza e é gratuito! Obrigado Belmiro de Azevedo! És o maior...
É urgente, é geracional, que se resolva o problema do estacionamento e se ligue esta questão a outra mais vasta que é a da mobilidade!
Passamos a vida com queixas sobre a poluição do ar, o custo dos combustíveis mas, em vez de se promover uma política que amplifique o uso dos transportes públicos e se acautele que economicamente seja mais interessante essa utilização do que o carro privado, a Câmara de Cascais decide tornar impossível o parqueamento das viaturas junto às estações da CP pelo valor de estacionamento praticado e pela sua manifesta insuficiência e empurra os seus munícipes que trabalham em Lisboa a deslocarem-se nos seus carros.
Não sou contra a existência de parquímetros para a meia dúzia de lugares existentes no centro da Vila de Cascais ou das restantes localidades do concelho, mas sou contra a que esses sejam os únicos lugares disponíveis para servir uma necessidade de capacidade de estacionamento seguramente maior que o dobro ou o triplo dos lugares existentes!
Cascais deveria ter dois ou três silos automóveis nas entradas da Vila com lugares gratuitos. Parede, por exemplo ou Carcavelos, precisam urgentemente de oferta de estacionamento para que a morte comercial anunciada do seu centro não ocorra!
E o argumento de não haver terrenos municipais disponíveis para criar a oferta de estacionamento não é aceitável. Uma Câmara sempre pronta para comprar autódromos, batarias militares ou hospitais, tem que ser capaz de investir em património privado, mesmo que edificado, e criar as soluções necessárias de oferta de estacionamento para uma real qualidade de vida dos seus munícipes!  
Não querer ver isto, é ignorar a vontade e os interesses dos eleitores.
Esta maioria foi eleita com o voto de 16,23% dos eleitores, já que mais de metade ficou em casa e não votou.
E se nas próximas eleições esta realidade se alterar?...
Estamos cá para ver quem se propõe fazer o quê…


Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.