quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Residuos Sólidos Urbanos - O fim de uma estratégia!

Apresentei no passado dia 14 de Janeiro o meu livro “Resíduos Sólidos de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra: O Fim de uma estratégia!”
Numa sessão despretensiosa, que se realizou no Navio Ópera, tive a oportunidade e o prazer de ter junto a mim o Engenheiro Álvaro Costa, que procedeu à introdução do tema Plano Estratégico de Resíduos.
A minha intervenção acabou por ser um pequeno resumo dos erros que entendo foram cometidos com as alterações introduzidas no Plano Estratégico de Resíduos de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra e que a prazo irão decretar a falência do modelo que se passsou a seguir a partir de 2007.
Sendo um livro que fala de questões técnicas relacionadas com a gestão e o tratamento de resíduos sólidos urbanos, é talvez um pouco denso para quem não esteja familiarizado com o tema.
Porque as coisas não acontecem por geração espontânea, escrevo também acerca de pessoas.
Não dos seus pecadilhos, da sua maneira de estar na gestão dos dinheiros públicos, nem mesmo sobre questões polémicas que poderia ter abordado acerca de alguns dos personagens que aparecem neste meu livro.
Entendi que este livro seria um livro acerca de resíduos sólidos, não acerca de pessoas!
Para algumas pessoas a edição deste livro foi um acto de coragem.
Triste sociedade esta em que vivemos quando é preciso ter coragem para falar verdade ou simplesmente emitir uma opinião!...
Alguns amigos, conhecendo as pessoas de que falo neste livro e do que são capazes, avisaram-me mesmo para que tivesse cuidado com o que me poderia acontecer…
É este sentimento de medo que faz prepétuar a mediocridade em lugares de chefia, em lugares políticos de responsabilidade.
Confesso que também eu, hoje considero que por demasiado tempo, omiti por vezes a minha opinião, para ser politicamente correcto.
Foi um erro comportamental de que me arrependo imenso.
Para mim acabou.
A seriedade, a liberdade de opinião, a minha verdade, valem mais que qualquer solidariedade política bacoca.

Os Partidos, pelo menos aquele em que milito, de exemplo de liberdade e democracia que deveria ser, passou hoje, pelo menos a nível local, a ser um antro de gente pouco qualificada, arrogante e prepotente, que nada dignifica a política e o exercício do poder público e político.

Para perceberem bem do que falo, houve gente que, às escondidas, me pediu desculpa por não estar presente no lançamento do livro, mas tinha medo das represálias de que podia ser alvo!

Isto acontece no século XXI em plena Europa, não é num país esquisito algures em África!

Não critico os que têm medo, mas critico vivamente quem prevalece pelo exercício do medo!

Tenho uma fé imensa de que o medo, as razões que levam muitos a viver na sombra do medo, vão acabar.

Sejamos preseverantes e não viremos a cara à luta!

Para alguns dos visados no meu livro, a leitura de algumas das páginas poderão ter causado alguma "indisposição"...

Estão habituados a fazer muita coisa a quem os rodeia achando que o tal medo lhes preserva a condição de inatacáveis.

Nesta situação a “coisa” correu de maneira diferente.

Irei continuar a abordar estes assuntos e a partilhar tudo o que sei sobre ele.

Mesmo que seja incómodo!

1 comentário:

  1. Caro Rui
    Tenho acompanhado de perto os teus comentários, não posso concordar com todos mas na maioria deles estou de acordo. Não fui porque quando me lembrei já era tarde, não tinha nada a perder, só iria concerteza rever antigos amigos e assistir ao lançamento do livro de um amigo. Onde posso adquirir o teu livro?
    Um abraço
    Rui Branquinho

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.